Saber Fazer

Diário | Journal

os ínstares e as mudas

Vestígios da muda de pele entre o primeiro e o segundo ínstar. / Traces of the silkworm moulting between the 1st and 2nd instar;

Vestígios da muda de pele entre o primeiro e o segundo ínstar. / Traces of the silkworm moulting between the 1st and 2nd instar;

As lagartas do bicho da seda, entre eclosão e encasulamento, sofrem um aumento de tamanho incrível e periodicamente têm que mudar a pele para conseguirem crescer - nascem com uns poucos milímetros e atingem cerca de 7 ou 8 centímetros antes de se preparar para encasular.
As lagartas desta raça passam especificamente por cinco ínstares (ou idades) e é entre um ínstar e o outro que ocorre a muda de pele, ou seja, mudam de pele quatro vezes. A primeira muda ocorre sensivelmente uma semana após a eclosão.
Como não as tenho a "viver" comigo (vivem felizes e contente no borboletário em Serralves), caso contrário estaria de olhos sempre postos em cima delas, nesta fase inicial não vi nenhuma exactamente durante o processo de muda, mas como sou eu que controlo o crescimento delas e faço a manutenção dos tabuleiros, apanhei os vestígios do processo nas folhas velhas.
Durante o processo de muda, que costuma demorar 24h, não se alimentam nem se movem muito - os japoneses dizem que elas estão a "dormir".

Os timings em que este tipo de coisas acontece, sejam as mudas de pele, sejam as eclosões ou encasulamentos, não é rígido nem matemático. Quando começamos a criação, tinha certas expectativas temporais que não corresponderam ao que aconteceu na realidade. O desenvolvimento do bicho-da-seda pode ser mais ou menos rápido de acordo, por exemplo, com a variedade do animal, quantidade de alimento disponível, temperatura das instalações e a estabilidade do conjunto de condições em que são criados.
Os nossos, apesar de terem crescido sem problemas e num ritmo constante, parece-me que foram mais lentos no desenvolvimento do que seria de esperar.

 

[27.04.2015 / Este post refere-se à investigação e actividades desenvolvidas no âmbito do programa Saber Fazer em Serralves  ]


Instars and moultings

Silkworms, in the larval stage, go through an enormous size increase and, periodically, they need to shed their skin in order to be able to grow - they are born with just a few millimeters and they grow to be 7 or 8cm long before cocooning.
They go through 5 instars and they shed their skin in between them. So, they shed their skin four times during larval stage. The first molt occurs about a week after hatching. Since the silkworms aren’t “living” with me (they are happily installed in Serralves), otherwise I would be obsessively watching over them, in this initial stage I didn’t see any of them go through the molting, but since I am the one checking on their growth and keeping them, I caught the old skins left on the leaves.
During the molting period, which lasts about 24h, they don’t feed or move a lot - the japanese say they are “sleeping”.

The timings for this type of events, be the molts, the hatching or cocoonings, are not mathematic. When we started with this silkworm breeding I had time expectations that didn’t match the reality. Silkworm development can be faster or slower according, for exemple, with the variety of the animal, the amount of food available, room temperatura and overall stability in rearing conditions.
Our, it seems to me, have been slower in developing, although they grew well and steady.

--

[27.04.2015 / This post refers to the investigation and activities developed during the Saber Fazer em Serralves program]