Posts tagged serralves
A Festa
DSC_2988-up.jpeg
Imagens: Carlos Marques e Epifânia Oliveira

Imagens: Carlos Marques e Epifânia Oliveira

Tal como no ano passado, foi um dia bastante intenso a ensinar a fiar, tecer e fazer cestos.
Apesar do cansaço no final do dia, todos concordamos que é muito importante abrir este tipo de actividades a um público que, que na sua maior parte, nunca tocou em fibras nem fez nada do género. Se por um lado, a maior parte do público não chega a ficar interessado no tema, embora se divirtam imenso no momento, há sempre muitas pessoas que saem dali com interesses novos e contactos para aprenderem mais sobre o assunto, o que é muito gratificante.

Obrigada, Guida Fonseca, Fernando Rei, Isabel Cartaxo, Eglé Bazaraite, Mafalda Pacheco e a toda a família de Cesteiros, por terem aceite o meu convite!


Just like last year, it was a very intense day fully spent teaching spinning, weaving and basketry.
Although we ended up extremely tired, we all agreed that it is very important to open this kind of activities to the general public, that for the most part, never did anything of the kind. Even though most people don't really take an interest, although they have fun in the moment, there are always many people leaving the event with new interests and contacts to pursue it a little further, and that's very gratifying.

Thank you Guida Fonseca, Fernando Rei, Isabel Cartaxo, Eglé Bazaraite, Mafalda Pacheco and the whole basket maker family for accepting my invitation!

Saber Fazer na Festa de Outono - 27 de Setembro 2015

Marquem na agenda: domingo 27 de Setembro de 2015, o Saber Fazer vai voltar a organizar 2 actividades na Festa de Outono em Serralves.
À semelhança do que aconteceu no ano passado, quem por lá passar vai poder aprender cestaria, fiar, tecer e outros processos ligados às fibras têxteis com pessoas que fazem disto o seu modo de vida no século XXI.
Uma oportunidade única para aprender, falar com os artesãos, experimentar materiais e ferramentas livremente.

Na parte da cestaria vamos voltar a ter a Rosa e o Manuel a orientar a actividade, com a ajuda das suas duas filhas, a Epifânia e a Flávia.
Para quem não sabe, para esta actividade os cesteiros trazem todos os materiais da sua própria oficina - vime, formas e ferramentas - e ensinam-nos a trabalhar com tudo. 
Neste dia, a sua oficina está aberta a todos em Serralves.
Na parte têxtil, voltamos a ter a Guida Fonseca a ensinar tecelagem em diversos tipos de teares, este ano, com o Fernando a dar um apoio extra.
Na parte da fiação, vamos ter pela primeira vez a Isabel Cartaxo, e também a Eglé Bazaraite e a Mafalda Pacheco, que vão ensinar tudo sobre fiação, com diferentes fusos e rodas.
Eu também estarei lá durante o dia todo, orientando a fiação com fuso como no ano anterior.

A actividade é contínua entre as 10h e as 19h, de entrada livre. 
Não importa se nunca tocaram num pedaço de vime ou lã, se já lá estiveram o ano passado e querem repetir, se já têm experiência ou se só querem ver. O que importa é que venham.

links:
Festa de Outono 2015 - Serralves
Festa de Outono 2015 - evento no facebook


Saber Fazer at the Festa de Outono - 2015
 

Save the date: sunday, the 27th of September, Saber Fazer will once again be present with two activities at the Festa de Outono in Serralves.
Just like year, you'll have the opportunity to learn basketry, weaving and spinning and other textile fiber related processed, from makers that make of these crafts their everyday work.

In the basketry part, we'll have Rosa and Manuel teaching, with the help of their two daughters, Epifânia and Flávia.
The basket makers will bring all the materials and tools from their workshop and will teach you to work with everything. For this event, their workshop will be open to everyone in Serralves.
In the textile side, we'll have again Guida Fonseca teaching to weave in several types of looms, with the help of Fernando.
Isabel Cartaxo, Eglé Bazaraite and Mafalda Pacheco will teach to spin wool, both with different types of spindles and spinning wheels.
I'll also be there teaching spindle spinning, just like last year.

This event is always open from 10am to 7pm and the entry is free.
It doesn't matter if you've never touched wicker or wool, if you already did it last year, if you are experienced or if you just want to see what this is about. We'll be very happy if ou show up.

links:
Festa de Outono 2015 - Serralves
Festa de Outono 2015 - facebook event

Um campo de Linho em Serralves

Ainda nem aqui falei da sementeira do Linho, que fizemos em Abril passado, mas por esta altura o nosso cultivo já está bem crescido, já entrou em floração e as baganhas estão a maturar. Hei-de falar de tudo, mas precisei de algum tempo para organizar informação, tomar conta de lagartas e planear mais algumas coisas das quais não falei aqui, e o nosso Linho foi crescendo naturalmente entretanto.
Para quem quiser dar uma olhada na pequena plantação, os talhões estão localizados na zona da Quinta, mesmo no final dos terrenos de Serralves, atrás do Lagar. Aqui em baixo há um mapa para se situarem e encontrarem o local. Quem entrar para visitar o Jardim e a Quinta consegue aceder livremente a esta zona.

Mais dia menos dia a primeira baganha vai abrir, e vamos ter de fazer a colheita. Já não deve faltar muito, com o tempo quente que temos tido, por isso esta é uma boa altura para dar uma olhada no Linho, que está ainda com as características flores de cor lilás.

--
[Este post refere-se à investigação e actividades desenvolvidas no âmbito do programa Saber Fazer em Serralves ]


The Flax field in Serralves

I haven't even talked about sowing the flax, that we did last April, but by now the flax has flowered and the seed capsules are maturing. I'll get around to talk about it, but I needed some time to organize information, take care of silkworms and plan a few more things I haven't talked about yet, and all along the flax was growing.
If you want to talk a look at our flax field, it is located in the Farm area, right behind the Barn. I posted a small map to make it easier to find (above). If you enter Serralves to visit the Gardens and the Farm, you'll be able to walk into the spot I marked.

In a few more days, the first seed capsule will open, and we'll have to do the harvest. And with the warm weather we have been experiencing, it shouldn't be long, so this is a good time to visit the flax field, that still has those beautiful characteristic purple flowers.

--

[This post refers to the investigation and activities developed during the Saber Fazer em Serralves program]

Vem aí a tosquia!
Imagens:  Martin O'Connel

Estamos quase em Maio, e a época da tosquia já está aberta há algum tempo, mas em Serralves, a primeira tosquia às ovelhas Bordaleiras-de-Entre-Douro-e-Minho a ser realizada na própria Quinta vai acontecer no próximo sábado dia 9 de Maio, pelas 11h.

Uma boa tosquia é, não só, um passo incontornável para a obtenção de uma fibra têxtil de qualidade, mas também um momento de demonstração de respeito pelo animal que nos oferece uma valiosa matéria-prima, e que deve ser tratado de forma cuidadosa e conhecedora.
Por isso mesmo, convidei o Marty O'Connel a vir cá ser o tosquiador de serviço. O objectivo não é apenas fazer uma boa tosquia às ovelhas Bordaleiras de Entre Douro e Minho, mas também ter alguém que adora o seu trabalho, adora comunicá-lo e é óptimo a fazê-lo.
A tosquia vai fazer-se na zona da quinta de Serralves junto aos estábulos, e vai estar aberta ao público.
Se gostam de lã ou fibras têxteis em geral, têm curiosidade sobre estes processos e gostariam de ver em primeira mão como se processam quando são bem executados, esta é uma oportunidade única para aprender com um bom profissional.

Aqui ficam os pormenores da actividade e podem ver mais informação no site de Serralves:

Dia e hora: 9 de Maio
Horário: 11h - 12.30h
Local: Parque - Quinta de Serralves (junto aos estábulos)
Orientação: Martin O'Connel
Link para o programa: Programa "Saber Fazer" - a Tosquia


The shearing is coming!
 

We're almost in May and shearing season has been open for a while now, but in Serralves, the first time the Bordaleiras-Entre-Douro-e-Minho sheep will be sheared in the farm will be in the next saturday, the 9th of May, starting at 11h in the morning.

A good shearing is an essencial step to obtain good quality fibre, but it is also a moment of demonstration of respect for the animal that each year offers us a valuable raw matter, and that should be treated in a careful a knowingly manner.
That's why I invited Marty O'Connel to come to Serralves and be our shearer this year. Our goal is not only to have the sheep properly sheared, but also to receive someone that loves their job, loves talking about it and it's great at it.
The shearing will take place in the Serralves' farm, close to the stables, and it is going to be open to the public.
If you're a wool lover or enjoy textile fibers in general, and are curious about seeing these processes first hand, then this is a great opportunity to watch, learn and ask questions to an excellent professional.

Here are the details, and you can check the program at Serralves' website:

Day: 9th of May (saturday)
Time: 11h - 12.30h
Place: Serralves Park / Farm (close to the stables)
Guidance: Martin O'Connel
Link: "Saber Fazer" Program - the Shearing (in english)

Foi uma festa

E foi assim em Serralves no domingo passado. 
Penso que para todos nós, tanto na parte têxtil como na cestaria, foi a primeira vez que tivemos de lidar com uma enchente tão grande de pessoas.

A actividade da cestaria, orientada pela Rosa e pelo Manuel, foi um absoluto sucesso, sem dúvida resultante da excepcional capacidade deles para receberem bem toda a gente, apesar do intenso trabalho que foi. Cada pessoa tinha de começar e terminar um pequeno cesto construído em vime, e foi maravilhoso ver tanta gente a sair com peças lindíssimas. Pormenor diferenciador foi o da actividade ser executada com as mesmas ferramentas e materiais com que um cesto deste tipo é produzido no dia-a-dia por eles: o vime, as formas de madeira, as tesouras, tudo. O objectivo era criar um primeiro contacto com esta actividade da forma como ela é desenvolvida profissionalmente, mas num contexto relaxado, e acho que conseguimos.

Na parte têxtil a enchente foi idêntica, com a atenção a ser atraída imediatamente para as rodas de fiar da Tita e da Rosário e, em seguida, para os teares da Guida.
Na brincadeira, disse a Rosário que batemos o recorde de concentração de rodas de fiar em Portugal - sete pelas minhas contas. Desconfio que também devemos ter batido o recorde de gente que aprendeu a fiar e a tecer num espaço de 9 horas. 
Entre algumas pessoas que experimentavam um pouco e continuavam, tivemos diversos casos de meninos e adultos que ficaram tocados pelo trabalho e se dedicaram de facto a aprender um pouco.  Tivemos um menino de 11 anos que esteve a manhã toda a aprender a fiar de fuso, passou para a roda e no final do dia voltou porque queria muito levar um fuso com ele para casa. Tivemos uma menina de 9 anos que já sabia tricotar e coser, mas queria aprender a fiar para fazer umas meias. Tivemos quem tivesse aparecido para aperfeiçoar a técnica e passar um bom tempo a experimentar todo o equipamento disponível. Tivemos uma senhora austríaca que fia e tece há décadas e que ficou emocionada por encontrar um aparato destes sem contar. Tivemos muita gente que veio só para ver e ficou a aprender.

Pessoalmente, e apesar do que já sei, fiquei surpreendida por ver a mudança física nas pessoas quando abrandavam e se concentravam no trabalho que tinham à frente, fosse o de fiar, tecer, ou fazer um cesto. E, apesar dos objectivos que já tínhamos, não deixou de me surpreender o interesse que tudo despertou. Foi bom.


And this is how it was in Serralves, at the Festa de Outono, last sunday.
I think that it was the first time that any of us, both in the textile and basket weaving activities, had to deal with so many people at once.

The basket weaving activity, oriented by Rosa and Manuel, was an absolute success, no doubt resulting of their exceptional ability to receive everyone, in spite of the hard work it was.
Each person had to start and finish their own basket and it was wonderful to see so many people leaving with beautiful baskets made by themselves. Something that made the difference was the fact that the activity was executed using the exact same tools and materials that a basket weaver uses in his profession: the wicker, the wooden molds, the scissors, everything. Our goal was to provide a first contact with the craft as a profession, but in a relaxed context, and I think we did it.

In the textile activities, we had lots of people being immediately attracted to Tita andRosário’s spinning wheels and then to Guida’s looms.
Rosário made a joke saying that we established a record of spinning wheels concentration in Portugal - I counted seven wheels. I’m pretty sure we also established a record on the amount of people that learned to spin and weave in 9 hours.
Amongst many people that experimented for a while and then carried on, we had several cases of children and adults that really dedicated themselves to learn a little harder.
We a had a 11 year old boy that spent the morning learning to spindle spinning, moved on to the wheel, and came back at the end of he day to ask for a spindle to take home. We had a 9 year old girl that already knew to knit and sew and wanted to learn to spin so that she could knit a pair of socks from her own yarn. We had people that showed up to perfect their technique and spent a good time trying all the equipment. We had an austriac lady that spins and weaves for decades and got a tear in her eye for finding such an event unexpectedly. We had a lot of people that came just to see and ended up learning.

Personally, and in spite of everything I already know, I was surprised to see the physical change in people when they finally slowed down and concentrated in the work at hand, may that be weaving, spinning or making a basket. And, although it was our goal, I was still surprised to see how much interest it generated. It was good.